domingo, 27 de abril de 2014

Como podemos defender a verdade bíblica sem ferir as pessoas?



Está cada vez mais difícil, nos dias atuais, o cristão posicionar-se em defesa de sua fé sem provocar, em muitas vezes, situações constrangedoras ou de forma adversa, situações por demais liberais, onde não se percebe a diferença entre o que serve a Deus e o que não serve.

Como podemos de forma inteligente apresentar-nos mostrando a diferença como servo de Deus, sem causar constrangimento ou ser constrangido?

Em meu horário livre de almoço, estou lendo um livro que tem o título: “Ortodoxia Humilde” do pastor Joshua Harris. Ainda estou no primeiro capitulo e gostaria de compartilhar com os amados irmãos algumas lições extraídas desta insigne literatura, que na verdade é um livreto com apenas 4 capítulos e aproximadamente 100 páginas, no entanto, grande em seu conteúdo. Trazendo em suas laudas, questões concernentes ao nosso cotidiano como embaixadores do evangelho.  

Sabemos que muitos irmãos, amados irmãos, queridos e abençoados irmãos, falham quando estão em defesa da fé cristã, pois o fazem de forma não muito agradável e nem recomendável. O Presbítero Pedro em suas recomendações nos dá clareza quanto ao procedimento de um servo de Deus 

“Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,”

De acordo com Joshua: “Um dos erros mais freqüentes cometidos por nós cristãos, é que aprendemos a repreender como Jesus, mas não a amar como Jesus” 

Precisamos ser corajosos em nossa posição em favor da verdade bíblica, mas também demonstrar graça e mansidão em nossas palavras e nossos diálogos com as pessoas.


“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.” Colossenses 4.6

Quanto ao que conhecemos a respeito de Deus e da Sua Palavra, seja esse conhecimento grande ou pequeno, o que importa é como o utilizamos, conforme o pastor Joshua é necessário fazer uma pergunta essencial: “o que faremos com o conhecimento de Deus que temos?”

 Vemos em muitos blogs, respostas acirradas, iradas, e até desrespeitosas a respeito da defesa da fé cristã, como também há respostas de pessoas desinteressadas que agem como se a defesa da fé cristã não fosse algo importante, tentando agradar a todos, mas isso se deve ao fato de elas mesmas não crerem em praticamente nada.

Isso nos leva a uma reflexão: devemos escolher entre ser gentil ou ter zelo pela verdade? Defender crenças profundas exige que deixemos a humildade de lado? Essas coisas são importantes para Deus? As Escrituras defendem a prioridade da humildade tanto quanto o zelo da defesa da fé? Ou isso é apenas questão de temperamento, onde algumas pessoas são liberais e outras se importam com a sã doutrina?

Joshua nos responde afirmando: “Devemos nos importar profundamente com a verdade, e também devemos defender e compartilhar essa verdade de forma compassiva e humilde.”
Paulo servo do Senhor, em sua segunda carta a Timóteo também nos dá uma resposta divina e inspirada a qual devemos considerar em nosso viver diário.
“E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,2ª Timóteo 2.24-25
Deus deu por meio das Escrituras, a mensagem redentora do Evangelho, uma disposição deve haver em nós para com integridade e ousadia transmitir com fidelidade essa mensagem, sem esquecer que isso deve ser feito com humildade, “porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (1ª Pedro 5.5b)       
Parafraseando o pastor A.W.Tozer (1897 – 1963) onde ele conta sobre um homem de Deus a quem foi perguntado: “o que é mais importante: ler a Palavra ou orar? Ele respondeu: o que é mais importante para um pássaro, a asa da direita ou a da esquerda?”

O que é mais importante a humildade ou o zelo pela defesa da nossa fé cristã? Assim como para o pássaro as duas asas são de igual importância, não podemos escolher entre a humildade e o zelo pela defesa da nossa fé cristã. Precisamos de ambas. 

A defesa da fé cristã com humildade e intrepidez não é fácil. No entanto, Cristo em sua Palavra conforme descrita em Mateus 28.20, nos dá a garantia de sua presença magistral em nossa defesa da fé cristã.

No amor de Cristo!

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” Salmos 19.14

Pb. João Cruz



Um comentário:

  1. Priscila Correia2 de maio de 2014 13:29

    Começei a ler o livro ORTODOXIA HUMILDE. Muito bom mesmo. Tenho que praticar mais tanto a ortodoxia quanto a humildade.

    ResponderExcluir